A Morte

Morte. Fim. Nada mais acontece depois da morte. Não acredito em Céus, Infernos, almas ou reencarnações. Nada disso faz sentido para mim. Quando alguém morre, desaparece para sempre e não é possível voltar a vê-la. Um morto passa a ser parte da terra onde é enterrado e mais tarde ou mais cedo vai acabar por ser devorado por milhões de bichos.

Custa tanto. Custa tanto saber que nunca mais te vou ver querido filho. Nunca mais vou conseguir falar contigo, nunca mais te vou poder tocar. Desapareceste e nunca mais vais voltar. E dói tanto, dói mesmo. Não consigo ser feliz sem ti ao pé de mim e é impossível arranjar conforto em algo que eu sei que não existe. Conforto esse só o consigo arranjar no vinho que bebo todos os dias e que faz com que te consiga ver. E corro, corro até ti mas nunca te consigo tocar.

Não te vou voltar a ver e isso mata-me mais um pouco todos os dias. A minha única salvação nesta vida é a tua mãe e a escrita. Acho que se não escrevesse, dava em louco. Gosto de observar, tu sabes disso. As pessoas, a cidade que é nossa. Ias gostar de fazê-lo comigo. Quem me dera que o pudesses fazer. Mas é impossível. A morte é a morte e tu morreste. E aquele gajo também devia morrer e da mesma forma, para ver se sofria o mesmo que tu. Tenho saudades.

António

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s